menu
Topo
Ana Aoun

Ana Aoun

Quando a autocensura sabota a liberdade das mulheres no ato de se vestir

Ana Aoun

2008-03-20T19:08:00

08/03/2019 08h00

Mulheres sempre esperam algo ou alguém que autorize suas escolhas na hora do vestir, mas só elas mesmas têm as respostas (Foto: iStock)

As mulheres estão sempre atrás de um aval, querem uma chancela para "poder" usar isso ou aquilo. É como se precisassem de algum tipo de autorização para o uso de determinada peça de roupa ou acessório. Sim, existem as diretrizes do dresscode corporativo, mas até isso já mudou bastante.

Recebo muitos questionamentos que permeiam o "mas eu posso?", já tão combatido, mas ainda muito presente na relação conturbada entre mulheres e o espelho. O mesmo acontece quando inicio um atendimento com uma cliente: questões com o corpo sempre são pano de fundo. Quem tem, quer esconder; quem não tem, quer criar. "Que calça veste melhor quem tem culote? Como faço para parecer mais alta? Quero disfarçar a barriga, tem como? Qual o melhor decote para busto grande?". E podemos ficar só nisso o texto todo.

Ninguém tem o poder de dizer o que você deve ou não usar, o que fica e o que não fica bom em você. Existem ferramentas para que essas questões sejam encaradas e trabalhadas no íntimo, rumo a uma resposta que será bem particular, de você com você mesma.

Expor o corpo ainda é um tabu, mas cobri-lo também é, e a preocupação com o que o outro vai pensar nos leva ao perigo da autocensura. Já parou pra pensar no tempo que passamos na companhia de blusas, calças, saias, sapatos e afins? Como usar por tanto tempo algo que não diz nada sobre você? Esses itens precisam ser, no mínimo, representativos. E a autocensura nada contra essa maré.

Aquele papo sério com o espelho precisa rolar todos os dias. Afinal, você se veste pra quem? Se a resposta "pra mim mesma" não sair rápida e espontânea, pode ter certeza que será para outras mulheres, para os homens, para se sentir adequada, para ser socialmente aceita… tudo, menos o que realmente importa: você.

Por isso, o autoconhecimento deve ser usado para mudar esse cenário. Quando a mulher aprende a ter um olhar mais generoso consigo mesma, a descobrir o que tem de melhor e a valorizar-se ainda mais, acaba deixando a segundo plano (quando não ignorando) o que a "desfavorece".

A mudança de paradigmas vem de encontro aos tempos em que vivemos, quando as mulheres buscam incessantemente igualdade entre os gêneros. E já que estamos inseridas nesse cenário de rótulos e padrões, é importante saber que, pelo menos, estamos juntas. Todas temos nossas questões, todas somos alvo dos padrões impostos por séculos, todas carregamos a cruz da perfeição, do belo aristotélico a ser alcançado.

E estamos juntas também no clichê para combater tudo isso: cada uma do seu jeito, com seu corpo, seu estilo, seu peso, sua altura, com seu lugar no mundo, enfim, com a sua beleza — essa palavra tão poderosa, mas de significado tão subjetivo, que nos rege numa busca muitas vezes sem destino certo. O que realmente importa é continuarmos livres — e ainda estão pra inventar algo mais belo que isso.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Ana Aoun é consultora de imagem, personal stylist e jornalista apaixonada pelo universo feminino. Pós-graduada em Linguagem no Jornalismo Online, volta ao UOL, onde já trabalhou em diversas editorias, após uma pausa para se dedicar à maternidade e à família. Acredita que o autoconhecimento é a maior arma para elevar a autoestima e alcançar a tão sonhada paz com o espelho. Procura desmistificar a consultoria de imagem escrevendo sobre o tema e disseminando a ideia de que um guarda-roupa abriga muito mais que peças de roupas e acessórios - ele ajuda a mostrarmos ao mundo quem realmente somos.

Sobre o blog

Dicas sobre como se vestir bem respeitando quem se é, de forma atemporal, de acordo com os diferentes tipos físicos e estilos, para todas as ocasiões (com ou sem dress code definido). Matérias sobre as novidades das vitrines e das ruas, do que já passou da tendência das passarelas para a moda validada do dia a dia. Exemplos de como uma peça de roupa adequada, uma cor que favorece ou um acessório oportuno podem levantar qualquer look - e qualquer imagem!